quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Passo a passo, uma idéia

POR

ALINE BRAZ,
BIANCA DAGA,
CAMILLA VALADÃO,
NATHALIA NONATO,
NAYARA FERNANDES,
SUELLEN MOTA.

O aumento da população idosa e da expectativa de vida no país e o fato de que o envelhecimento é uma fase natural do ciclo de vida humano nos levou, estudantes do 8º semestre de jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo, a escolher como tema do Trabalho de Conclusão de Curso “Cuidadores de Idosos”. Também abraçamos e nos sensibilizamos com o assunto por conta de vivências e experiências pessoais com familiares nessa faixa etária.

O objetivo deste projeto é elaborar um livro-guia que auxilie as pessoas que cuidam de idosos, em suas atividades diárias, com dicas e orientações. E um site que seja espaço de interação e serviços para esse público, pois percebemos que a bibliografia sobre o tema ainda é escassa.

Saímos a campo para conhecer a fundo o nosso personagem principal: o cuidador. Ouvimos suas histórias de vida, a visão que tinham da tarefa de cuidar, as dificuldades que enfrentam para realizá-la. Testemunhamos às vezes lágrimas às vezes pensamentos, às vezes devoção.

Em todos os casos podíamos ter certeza ainda maior que escolhemos uma realidade única e indispensável. Muitos não conhecem o trabalho do cuidador, mas a própria história trará à luz a importância dessa função. Primeiro as estimativas do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de crescimento do número de idosos no Brasil, depois, em 20 anos, os 30 milhões de idosos de fato.

Entre março e abril deste ano, aplicamos 177 questionários em cuidadores para conhecer melhor como se dá a relação entre eles e o idoso, as principais dificuldades enfrentadas na rotina da atividade, como eles enxergam o ato de cuidar, entre outras questões. A maioria desses cuidadores era composta por mulheres, entre 31 e 60 anos, que trabalham como profissionais assalariadas. Além disso, a maior parte deles era cuidador informal e tinha grau de parentesco com o idoso. Geralmente, é um filho (a) que cuida do pai ou da mãe.

Quase o total não sente falta de algum tipo de apoio de enfermeiros, psicólogos ou outros profissionais. Por outro lado, quase a metade dos entrevistados afirmou enfrentar dificuldades tanto físicas quanto psicológicas na convivência e cuidado com o idoso. Grande parte exerce a atividade há mais de cinco anos e por mais de 12 horas diárias. Mesmo passando muito tempo ao lado do idoso, a maioria dos cuidadores considerou a relação ótima. Os próprios cuidadores analisaram o ato de cuidar como uma demonstração de amor e dedicação.

A eles, dedicamos nosso projeto e reconhecimento.


PARA MAIS INFORMAÇÕES:

Blog: http://blogcuidadoresdeidosos.blogspot.com/
E-mail: camilla.valadao@bol.com.br


A ABG reconhece e parabeniza a iniciativa das estudantes! O trabalho mostra o engajamento e o compromisso com as questões do envelhecimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário