quarta-feira, 15 de agosto de 2018

PROFISSÃO E ATUAÇÃO DO GERONTÓLOGO




Você conhece a profissão de Gerontólogo e quais são as possíveis áreas de atuação? Neste conteúdo vamos explicar tudo sobre esse belo trabalho e de muita importância para a população de idosos.

O Gerontólogo é o profissional responsável por compreender e estudar os processos relacionados ao envelhecimento, ou seja, questões físicas, sociais e emocionais que surgem para a população que está na fase 60+.

A pessoa que está nessa faixa etária precisa de atenção, carinho e de indivíduos que ouçam, de fato, o que tem a dizer e o que estão sentindo. É de extrema importância entender o que está passando e como é possível melhorar por meio de intervenções no dia a dia.

Esse profissional possui formação multidisciplinar, ou seja, durante as aulas de Gerontologia estuda psicologia, nutrição, biologia, direito, serviço social, antropologia, administração, entre muitos outros aspectos relevantes que auxiliam no bem-estar dos idosos.

Possui uma visão sobre tudo o que acontece na vida das pessoas do ponto de vista biológico, psicológico e sociológico.

Com o passar do tempo o idoso começa a apresentar algumas dificuldades, como a fragilidade, menos disposição, a coordenação não é mais a mesma e surgem doenças que precisam ser tratadas. Além de sintomas como solidão, baixa autoestima e depressão.
A preocupação do Gerontólogo é em ajudar as pessoas a envelhecer da melhor maneira possível. Dá orientações de planejamento e cuidados no dia a dia, entendendo as necessidades de quem está com uma idade avançada, pois dessa forma ajuda a manter a qualidade de vida do idoso.

É um trabalho que cresce a cada ano, considerado por muitos “a profissão do futuro”, somado ao fato de que daqui cerca de 50 anos dados indicam que haverá mais idosos do que crianças, por isso é importante ter profissionais preparados e capacitados para atuar nessa área.

Além disso, o Gerontólogo possui diversas áreas para atuar no mercado de trabalho, como na gestão de casos, políticas públicas, educação (ensino e pesquisa), reabilitação, reinserção na sociedade, segurança, home care, atividades corporais e comportamentais, em hospitais, clínicas especializadas, centros e unidades básica de saúde, ambulatórios, instituições que cuidam de idoso, como as casas de repouso, entre muitas outras.

Vale ressaltar que Gerontologia não é a mesma coisa que Geriatria, essa segunda é uma especialidade médica e o profissional busca fazer diagnósticos, como: saber sobre as cirurgias que já foram feitas, quais remédios toma, se pratica exercício físico, se fuma ou bebe, entre outros aspectos relacionados diretamente com a saúde.

São profissões diferentes, mas integradas no objetivo de proporcionar o melhor para a vida dos idosos. A velhice não é sinônimo de doença e o Gerontólogo demonstra isso.

O que achou dessa profissão? Deixe um comentário abaixo.


Autor: Em Família - Residencial Sênior

https://www.casaderepousoemfamilia.com.br/



NUTRIÇÃO: DESNUTRIÇÃO EM IDOSOS, PRINCIPAIS FATORES ASSOCIADOS




Há anos a população de idosos no Brasil sofre com problemas relacionados à saúde, principalmente com doenças crônicas, como depressão, artrite, hipertensão e dores na coluna, tudo isso ocorre pelo fato de que inúmeras mudanças sociais e fisiológicas acontecem ao envelhecer. Devido a essas circunstâncias é comum ocorrer a desnutrição em idosos que acaba atingindo o organismo e deixando-o em estado de alerta. Vamos entender abaixo:

Quem está na fase 60+ passa a tomar medicamentos com mais frequência e isso afeta diretamente na qualidade de nutrição do corpo, por exemplo, a maioria dos antiácidos diminuem a absorção de cálcio, vitamina B12 e ferro no organismo.

O idoso que sofre demência e depressão (fatores psicológicos) também acaba prejudicado em relação a alimentação, pois esses casos provocam a inatividade, seja mental ou física, e consequentemente a diminuição da capacidade do indivíduo comer de maneira adequada.

As doenças crônicas são também fatores que influenciam na desnutrição do idoso e por isso há um risco maior de mortalidade, acabam deixando-os mais vulneráveis, frágeis, sujeitos a infecções e com baixa qualidade de vida.

Para exemplificar: o Alzheimer faz com que o idoso esqueça de alimentar-se devidamente, já o Parkinson é um distúrbio que afeta o movimento, causando tremores e por isso, aumenta a dificuldade para comer, segurar um garfo ou uma colher. Por isso, é importante ter um acompanhamento e auxílio de familiares ou cuidadores.

Uma outra observação pertinente é em relação aos cuidados com a saúde bucal, pois a falta de dentes, ter cáries, diminuição do paladar ou quaisquer outros problemas na boca pode gerar incômodos, dores e dificuldades para mastigar e fazer a deglutição (ação de engolir o alimento da boca até o estômago).

Mas além dessas questões citadas, há a questão financeira, em que muitos idosos aposentados não possuem dinheiro suficiente para manter uma boa alimentação, adicionado ao fato de que o organismo de pessoas na fase 60+ funciona de maneira diferente, o metabolismo é menor, os rins tendem a diminuir de tamanho e são menos eficientes, o que ressalta a importância da ingestão de água diariamente.

Devido a essas circunstâncias, vale lembrar que o acompanhamento em relação a alimentação do idoso deve ser feito diariamente pela família e também no lar ou casa de repouso que vive para manter o controle e a qualidade da nutrição, pois assim ajuda-o a ficar com a saúde em dia para levar uma vida mais ativa e disposta.

Pensando nisso, separamos alguns alimentos que não podem faltar no dia a dia do idoso. Para refeições principais: Arroz, feijão, grão de bico, lentilha, carne vermelha ou branca, peixe e vegetais como, couve, espinafre e brócolis. Já referente às frutas: limão, abacaxi, laranja, melancia, uva, nozes e amêndoas são ótimas opções.

Portanto, para evitar possíveis problemas, o idoso precisa ter os cuidados necessários e adaptar os hábitos alimentares de acordo com a nova condição imposta pela idade, ou seja, precisa cuidar dos dentes, tratar os problemas de saúde e claro, ter uma dieta nutritiva e equilibrada com proteínas, carboidratos, gorduras e alimentos ricos em fibras, além de comer frutas, legumes, vegetais e claro, não esquecer de beber bastante água durante o dia.


Autor: Em Família - Residencial Sênior


https://www.casaderepousoemfamilia.com.br/

PREPARAÇÃO PARA O PROCESSO DE APOSENTADORIA




Durante a vida passamos por diversos períodos de transição, desde o nascimento até chegar à fase 60+. De acordo com o IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a expectativa de vida da população é de aproximadamente 76 anos, enquanto que em 1940, era de apenas 43 anos.

Por isso, o número de pessoas idosas no país cresce cada vez mais e devido a esse fato surge uma grande preocupação em relação a aposentadoria. Esse processo necessita de uma preparação e organização adequada para viver bem e é o que explicaremos a seguir.

Estar aposentado não significa necessariamente que uma pessoa apenas deixou de trabalhar, isso vai muito além e inclusive há muitos que seguem trabalhando ou abrem um negócio para continuarem ativos.

A aposentadoria pode ser algo positivo que muitas pessoas almejam para descansar e aproveitar melhor o tempo livre ou pode ser algo negativo, pois termina-se um ciclo e uma parte importante da vivência, em que o contato com amizades conquistadas durante o trabalho ficam menores, o que leva a uma ressignificação da vida, ou seja, novas concepções de mundo por não estar mais na vida ocupacional.

Antes de tudo, é importante planejar-se desde jovem, é essencial pensar em ‘’o que eu tenho que fazer hoje para ter uma aposentadoria de qualidade no futuro?’’. É um período de reflexão para a construção de um novo estilo de vida.

E a verdade é que muitos cidadãos não se preparam para essa época da vida, principalmente quando o assunto é dinheiro. Portanto, é interessante pensar na parte financeira, investir ou mesmo guardar e fazer um fundo de emergência, pois na fase 60+ também há um gasto maior com remédios e despesas com saúde. Não dependa da aposentadoria tradicional.

Outro aspecto relevante é a prevenção de declínio da memória, ou seja, prepare a mente, guarde boas lembranças, entenda que será um novo período, com mudanças e adaptações na rotina e não deixe que isso afete a sua autoestima. Se necessário converse com alguém da sua família e não deixe a aposentadoria se tornar um problema.

Com base no ponto acima, preocupe-se com o bem-estar, ou seja, a satisfação em relação ao corpo, a saúde e claro, a vida. Procure ocupações como, ler um livro, aprender coisas novas, brincar com netos, viajar e fazer exercícios, pois com um tempo livre maior você terá a possibilidade de aproveitar melhor cada momento.

Inclusive, a prática de atividades físicas é excelente, não só para idosos, mas para toda a população. Faça uma caminhada, aulas de dança, natação, academia, entre outras, isso proporcionará uma série de benefícios a sua saúde e disposição, fortalecerá os músculos e auxiliará no combate a doenças como hipertensão, depressão, obesidade e pressão alta.

Sem contar que o corpo ficará mais em forma e além disso, vai ajudar você a conhecer novas pessoas, ampliando o círculo de amizades. Não se isole socialmente, não pense que estar aposentado é sinônimo de inutilidade. Encare essa etapa com motivação para novos desafios e utilize-se da experiência adquirida ao longo da vida.

E por fim, aproveite. Quando estiver aposentado, esteja ao lado de amigos e familiares, converse, relaxe, dê risada, conheça novos lugares e culturas, prove comidas diferentes, vá a teatros, museus e cinemas, pois tudo isso tende a agregar socialmente para você, sua saúde e vai te ajudar a manter ativo por anos e anos.


Autor: Em Família - Residencial Sênior

https://www.casaderepousoemfamilia.com.br/

sexta-feira, 27 de julho de 2018

A ABG deseja a todos FELIZ DIA dos AVÓS!


Seminário sobre o 2º eixo da 5ª Conferência Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa

Caros colegas,

Enviamos abaixo o convite da Secretaria Municipal de Políticas para a Pessoa Idosa da cidade de São Paulo para participação nos seminários que estão sendo realizados na OAB/SP. 

Todos estão convidados; o evento á gratuito e aberto ao público. 

"Prezado(a) Sr.(a),

A Coordenação de Políticas para Pessoa Idosa – Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania – gostaria de convidá-lo(a) para participar do Seminário sobre o 2º eixo da 5ª Conferência Municipal dos Direitos da Pessoa Idosa, denominado “Educação: Assegurando Direitos e Emancipação Humana”, que será ministrado pela Profª Drª Bibiana Graeff, no próximo dia 30 de julho, segunda-feira, das 9 às 12h, no Salão Nobre da OAB SP, situado na Praça da Sé, 385 - 1o. andar.


Contamos com sua participação e divulgação."